Menu fechado

CRV e CRLV – Conheça quais são as diferenças entre os documentos dos seus veículos

app crlv digital 3

Os proprietários de veículos devem sempre se atentar a uma série de documentos que mostram a legalidade dos seus veículos. Muitas vezes, confundimos os dois documentos CRV e CRLV – mas não se preocupe, vamos ver juntos quais as utilidades dos dois documentos, o que é preciso fazer para sempre manter eles em dia e quando usar cada um deles.

CRV – O certificado de registro do seu veiculo

O CRV – Certificado de Registro do Veículo é chamado pelos brasileiros também como “ Recibo de Compra e Venda “. Esse certificado é o documento que comprova a posse do veículo, e possui as informações mais importantes do veículo, como código Denatran, o código de segurança e as informações do dono do imóvel.

O CRV é o principal documento quando ocorre a transferência de um veículo, sendo esse o documento comprova qualquer mudança de dono do veículo, seja carro ou moto.

CRLV – Certificado de Registro de Licenciamento de Veiculo

O CRLV – Certificado de Registro de Veículo é o principal documento necessário que certifica que o veículo está em dia com suas obrigações, ou seja, está com todos os impostos pagos, e dessa forma, pode rodar de forma tranquila.

Durante muitos anos, o CRLV era um documento verde, que sempre se encontrava junto ao motorista quando ele estivesse rodando com o carro. Mas com toda essa mudança de pandemia e com a digitalização de todos os processos burocráticos, o CRLV digital está cada vez mais sendo utilizado no Brasil.

app crlv digital

Quais as diferenças entre os documentos CRLV e CRV ?

Resumindo, o CRVL é o documento que comprova que todos os documentos estão em dia com seus pagamentos, ou seja, que não há débitos do veículo atrasados. Já o CRV é o documento que comprava a posse do carro, ou seja, quem é seu dono.

É importante citar que o CRV não é obrigatório estar sempre em posso do motorista, pois só é solicitado quando ocorre a transferência de titularidade. Já o CRVL é obrigatório estar sempre em posse do dono do imóvel, pois em qualquer solicitação por um policial, por exemplo, é obrigatória a sua apresentação. Segundo o artigo 121 do Código de Transito Brasileiro, não é preciso andar em posse com do CRV.

Porém, não precisar andar com o CRV não autoriza o proprietário do veículo a manter o CRV desatualizado. Caso haja uma inspeção na documentação do veículo, como ocorre em uma parada policial federal, por exemplo, a não constatação de um CRV atualizado pode gerar multa e apreensão ao veículo.

O CRVL deve ser renovado todos os anos, como forma de comprovar o pagamento de todos os débitos. Já o CRV não é preciso ser renovado todos os anos, pois não tem data de validade. Porém, é preciso sempre se atentar em quais casos é preciso expedir um novo documento.  Segundo conta no o art. 123 do Código de Trânsito Brasileiro, é obrigatória a emissão de um novo CRV quando acontecer uma das seguintes situações:

  • O proprietário, ou proprietária do veículo mudar de endereço para outro município;
  • Houver transferência de propriedade do veículo;
  • Alguma característica do veículo for alterada, como a cor;
  • Houver mudança de categoria do automóvel.

E, para que um novo CRV seja emitido, não pode haver débitos no cadastro do veículo, como multas ou IPVA em atraso. Muitos brasileiros ainda não entendem a importância de sempre emitir um novo CRV a cada transferência de compra e venda do veículo.

Como emitir um novo CRV

No Brasil, existem duas formas de solicitar um novo CRV – através de um despachante de sua confiança ou por conta própria, em uma agência do Detran. Em ambos em casos, é preciso conhecer quais os documentos necessários para a emissão de um novo CRV.

Nota fiscal do veículo – Se você tiver adquirido um carro direto na concessionária, é preciso levar a nota fiscal do veículo, mas caso tenha comprado na em segunda mão, é necessário que leve as duas (nota fiscal do fabricante e também o comprovante do estacionamento ou da concessionária);

Documento com foto do novo proprietário – Esse pode ser a carteira nacional de habilitação, o RG, e também pode ser a carteira de trabalho ou o passaporte.

Após estar com todos os documentos em mãos, basta seguir alguns passos simples no site do Detran para conseguir a emissão de um novo CRV.

Entre no site do Detran, realize o cadastro caso ainda não tenha, e procure pela opção “Registro de veículo 0 km”. Nesse momento, tire uma foto de todos os documentos necessários – é importante que todas as fotos estejam com uma ótima resolução.

Para realizar o envio, é preciso que todas as fotos estejam no formato PDF – e mesmo que você tenha pouca experiência em converter arquivos de foto para esse formato, saiba que existem já muitas opções de aplicativos para celular que fazem essa conversão facilmente.

Após os documentos já estarem no formato PDF, já é possível fazer o envio pelo site do Detran. Um campo solicitando o chassi do veículo será apresentado – você pode descobrir esse número através da nota fiscal do veículo.

Para continuar com a solicitação do veículo, é preciso fazer o primeiro pagamento do IPVA, DPVAT e também da taxa para a emissão do CRV. Após realizar o pagamento, é preciso enviar todos os documentos para o Detran para que a emissão do CRV seja autorizada. 

Após o envio e o aceite do Detran, será gerado uma autorização única para que você possa fazer a emissão de uma placa Mercosul. Como ainda se trata de um modelo de placa novo, pode ser que o prazo para a chegada da placa seja maior do que o ansioso dono de um veículo novo espere.

Como nem sempre guardamos nosso documento como deveríamos, pode ser que você perca seu CRV. Ou ainda no caso de furto ou roubo, é preciso nesses casos solicitar uma segunda via do Comprovante de Registro do Veículo.

Para isso, é importante que não haja nenhuma dívida no cadastro do veículo, como IPVA ou mesmo multa do ano anterior que não foi paga. Também é necessário que não exista qualquer tipo de bloqueio pela justiça, como pena administrativa ou mesmo judicial.

A emissão de uma segunda via só é possível pelo atual proprietário do veículo, no atual estado do registro e do comprovante de endereço do proprietário. No caso de o documento ter sido roubado ou furtado, também será necessário que seja feito um boletim de ocorrência, para que o documento não possa ser utilizado para crimes.

Mas se o proprietário do veículo preferir fazer a solicitação da segunda via do CRV no Detran, basta ir a agência mais próxima, com os documentos listados abaixo:

Um Laudo Veicular, que é um documento que comprove que não houve mudanças de peças do veículo, que ele se encontra em boas condições e que não há numeração de chassi raspada, por exemplo;

Se o CRV estiver sido extraído do proprietário em um caso de roubo ou furto, também será necessário apresentar uma cópia do boletim de ocorrência;

Uma cópia simples do comprovante de endereço do proprietário.

Uma cópia simples do documento do proprietário, como RG e CPF ou da carteira nacional de habilitação;

Caso o proprietário tenha somente perdido o documento, será necessário também o envio de uma declaração de extravio do CRV original. Importante citar que esse documento só é válido após a autenticação por firma reconhecida em cartório.

Com o laudo de avaliação em mãos, basta agendar uma consulta com o Detran de sua cidade, levando todos os documentos. Após a entrega, será emitido um boleto com a taxa de emissão, que deve ser pago, e o comprovante juntado ao restante do processo.

O proprietário pode preferir ir retirar pessoalmente o documento no site do Detran, que geralmente fica pronto no período de 3 a 5 dias. Mas se caso o proprietário escolher a opção de receber o novo CRV pelo Correio, saiba que pode demorar até 30 dias para a chegada do documento, mesmo o Detran informando que o prazo máximo para a chegada é de 20 dias.

Os valores de solicitar um novo CRV no caso de um carro 0 km também devem ser conhecidos, para evitar surpresas bem desagradáveis. No caso de licenciamento de um veículo zero quilometro, o valor é de R$ 93,87.

A placa sem dúvida é o item que tem o valor mais pesado para a regularização de um veículo zero quilometro. Uma placa em 2020 só é emitida após o pagamento no valor de R$ 300 reais. O DPVAT também deve ser pago nesse momento, e custa entre R$5,23 e R$12, variando de acordo com o veículo, carro ou moto.

 Já o IPVA tem seu valor estipulado de acordo com o valor venal do veículo, variando entre 0,5% e 4%. A emissão do CRV também tem um valor meio salgado, no valor de R$ 212,60. No caso de fazer a solicitação através do despachante, também é importante que a taxa do despachante seja paga.

Andar com os documentos sempre em dia é uma obrigação de qualquer motorista, e isso também se aplica ao CRLV. Já o CRV não é preciso estar em posse, porém sua atualização é importante para evitar multas e outras punições para o proprietário.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *