Menu fechado

Multas graves – A lista definitiva – Parte 02

Vamos agora a segunda parte da nossa lista definitiva de multas graves.

Artigo: 184, inciso II. Infração: transitar com veículo na faixa ou pista da esquerda regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo.

Principalmente em cidades grandes, onde há faixas de transito exclusivas para ônibus e bicicletas, muitos motoristas se sentem a vontade de transitar livremente nesses espaços não indicados para o uso de veículos pesados.

Essa situação, além de causar uma enorme situação de perigo ao público destinado a faixa, como aos ônibus geralmente lotados e também as motoristas de bicicleta, também podem causar situações de perigo aos outros motoristas, que podem ser surpreendidos ao se avistarem com um veículo nessas faixas proibidas.

Aos motoristas que fazem dessa ação uma rotina, é importante se lembrarem que existe um motivo maior da destinação exclusiva dessas faixas: elas foram criadas para que a passagem de outras pessoas com veículos que geralmente demoram mais para chegar ao destino, como bicicletas e transportes coletivos, cheguem mais rápido ao seu destino.

Artigo 186, inciso I. Infração: transitar pela contramão em vias com duplo sentido de circulação (exceto em manobra de ultrapassagem).

Prestar muita atenção em todas as placas de transito é essencial para evitar acidentes perigosos, como as colisões frontais. Ao dirigir em lugares novos, principalmente em partes da cidade onde frequentemente há alterações de mãos, a observação de novas placas de transito é essencial para garantir a segurança de todos que por ali trafegam.

Ao realizar uma ultrapassagem, é preciso que o motorista se sinta realmente confortável para realizar a manobra, que ele tenha experiência nesse tipo de ação e que haja realmente muito espaço para que a ultrapassagem seja feita de forma segura também para quem está sendo ultrapassado.

Principalmente em rodovias onde a situação para dirigir não é das melhores, como nas rodovias federais com muitos buracos e sem a sinalização devida, alguns casos de ultrapassagens devem sempre ser deixados de lado até um momento oportuno, para que também a segurança dos carros que venham na direção exposta seja mantida.

Artigo: 190. Infração: seguir veículo em serviço de urgência (como a ambulância), estando este com prioridade de passagem identificada pela sirene.

Todos nós já vimos essa situação no transito em alguma vez: uma ambulância faz barulho lá distante, e todos os carros a sua frente fazem o possível e o impossível para dar passagem ao carro de emergência.

Essa é uma atitude muito bonita, uma das raras situações em que todos os brasileiros se juntam para fazer algo solidário, e que por muitas vezes já salvou a situação de muitas vidas que se encontravam seriamente ameaçadas.

Porém, essas situações podem levar também a situações de perigo para os outros motoristas. Infelizmente, muitas vezes também vimos alguns motoristas que tentam se aproveitar da situação e ganhar alguns segundos não tão valiosos assim, colocando em risco a vida de todos os outros motoristas, inclusive dos passageiros que se encontram na ambulância.

Essa atitude, além de demonstrar uma total falta de respeito a todos que abriram a passagem para o veículo de emergência, também leva a uma situação de perigo desnecessária aos próprios passageiros do veiculo que está tentando aproveitar a passagem, pois os outros motoristas não esperam que haja mais algum veiculo realizando essa passagem forçada.

Artigo: 192. Infração: Deixar de guardar distância de segurança lateral e frontal entre o seu veículo e os demais, bem como em relação ao bordo da pista, considerando-se, no momento, a velocidade, as condições climáticas do local da circulação e do veículo.

Muitos novos motoristas ainda não possuem o conhecimento e a experiência necessárias para manterem uma distancia segura do seu veiculo com os demais, o que pode leva a acidentes menos graves, como pequenas batidas sem vitimas.

Mas mesmo se tratando de motoristas experientes, a melhor forma de garantir a segurança de todos os motoristas e demais passageiros é procurar sempre manter uma distancia segura entre todos os veículos, principalmente em centros da cidade, onde costuma haver pouco espaço para manobra muitas vezes, e onde também o tráfego de pessoas acaba se perdendo com o trafego de outros carros, motos e até pequenos caminhões.

Novos motoristas também devem ficar atentos a condição de trafego da pista. Uma chuva forte em uma pista não ideal para a circulação é uma das situações onde é melhor parar o carro em um lugar seguro e esperar melhores condições de transito. Atitudes simples como essa são as mais seguras possíveis, e podem garantir a segurança de todos que por ali irão passar nessas situações adversas de transito.

Artigo: 194. Infração: transitar em marcha à ré, salvo na distância necessária a pequenas manobras e de forma a não causar riscos à segurança.

Muitos motoristas são excepcionais motoristas, e dirigem tão bem para trás quando para frente. No caso onde seja necessário voltar a uma distância maior, a marcha ré nunca deve ser usada, pois nem todos os motoristas esperam que o veículo a sua frente ande por grandes distancias dessa maneira.

É importante que todos os motoristas saibam que a marcha ré só deve ser usada para a finalidade que ela foi especificada – como ao realizar manobras de estacionamento e também para percorrer distancias muito curtas.

Andar a uma alta velocidade de marcha ré pode muito bem mostrar as habilidades dos motoristas de cinema, mas na vida real, essa situação gera uma situação de grande risco para todos os envolvidos no trânsito.

Artigo: 195. Infração: desobedecer às ordens emanadas da autoridade competente de trânsito ou de seus agentes.

Principalmente em paradas policiais e bloqueios, todos os motoristas são obrigados a seguir as instruções dos agentes de transito competente, como fiscais e também policiais rodoviários. Nesses casos, por mais que hajam problemas bem conhecidos, como o atraso da documentação ou mesmo alguma inocorrência com o veículo, é preferível ao motorista parar o carro, seguindo todas as instruções e explicar o ocorrido.

Ao tentar uma fuga e evadir do local de bloqueio, os motoristas cometem mais uma série de infrações muito piores, que levam a cassação imediata da carteira de motorista. Além da multa gravíssima e remoção do veículo, os motoristas ainda serão obrigados a responder criminalmente por essa atitude.

Artigo: 196. Infração: deixar de indicar com antecedência, mediante gesto regulamentar de braço ou luz indicadora de direção do veículo, o início da marcha, a realização da manobra de parar o veículo, a mudança de direção ou de faixa de circulação.

Em grandes cidades, essa cena sempre leva a muitas discussões e buzinadas sem fim. Ao realizar a mudança de faixa, no mínimo os motoristas devem sinalizar com a luz indicadora, a famosa seta.

Principalmente os motoristas mais novos devem sempre se atentar a avisar aos outros motoristas sobre as manobras que irão fazer. Fazer a sinalização correta é uma das formas mais praticadas que visam garantir a segurança de todos no transito. Ao fazer a indicação, o motorista garante que todos os outros veículos e pedestres próximos fiquem atentos ao fazer também uma mudança de direção, criando assim um ambiente muito mais seguro de transito.

Artigo: 204. Infração: deixar de parar o veículo no acostamento à direita, para aguardar a oportunidade de cruzar a pista ou entrar à esquerda, onde não houver local apropriado para operação de retorno.

Muitas vezes na pressa, entendemos que uma situação possível de seguir com o veículo vire uma situação também legal de seguir com nosso caminho no transito. Principalmente em estradas que levam a propriedades rurais, muitas vezes não nos atentamos ao fato de que o código de transito brasileiro obriga aos motoristas a aguardarem a faixa a direita o momento ideal para cruzar a rodovia ou a estrada.

Para fazer um cruzamento seguro, não basta que nenhum veículo venha pela direção contrária, mas sim que também não haja veículos esperando atrás, o que pode pegar os outros motoristas da estrada a serem pegos de surpresa, formando um possível cenário de perigo a todos os outros que por ali trafegam.

E também não podemos deixar de citar que espera pela faixa da direita só deve ser a escolha quando não haver uma faixa de retorno nos próximos quilômetros. Em muitas situações, além de evitar uma situação de possível acidente, continuar normalmente na direção e fazer o retorno na próxima oportunidade também é uma situação que demanda menos tempo.

Artigo: 207. Infração: executar operação de conversão à direita ou à esquerda em locais proibidos pela sinalização.

Existem situações no transito que devem ser respeitadas, para garantir a segurança de todos. No caso de cruzamentos especiais, onde trafegam um grande número de carros, ou mesmo em situações emergenciais, como ambulâncias e carros oficiais, é possível a proibição de conversão que em outros lugares comuns fossem permitidas.

 Por isso, mesmo aos motoristas que por ali trafegam todos os dias, a observação constante das placas de trânsitos é essencial para garantir a segurança de todos, inclusive dos pedestres da região. Cabe aos motoristas lembrarem que todas essas proibições tem como objetivo garantir a segurança de todos os envolvidos, e que elas devem ser respeitadas para garantir o ambiente mais seguro possível no trânsito.

Artigo: 209. Infração: transpor, sem autorização, bloqueio viário com ou sem sinalização ou dispositivos auxiliares, deixar de adentrar às áreas destinadas à pesagem de veículos ou evadir-se para não efetuar o pagamento do pedágio.

No transito, muitas vezes somos obrigados a passar por dispositivos nas rodovias para assegurar uma condição favorável de passagem. Esse é o caso de muitas balanças de caminhões, por exemplo, que fazem a verificação do peso da carga, garantindo assim uma carga dentro do limite estabelecido pela pista.

Muitas vezes, motoristas principalmente de grandes carretas, procuram fugir desse tipo de fiscalização preferindo trafegar por estradas alternativas sem essa fiscalização. Nesses casos, raramente os motoristas conseguem sair sem serem pegos pelas autoridades de transito no local.

A eles, cabe a mensagem que esses dispositivos foram implantados para criar um ambiente seguro de transito inclusive para eles mesmos, pois dirigir carretas com grandes quantidade de peso em pistas que não foram planejadas para a passagem delas pode facilmente se transformar em situações de extremo perigo.

E em casos de evasão de pedágio, a situação se torna acima de tudo constrangedora. Muitos motoristas ainda tentam escapar da cobrança do pedágio seguindo de perto grandes carretas, que possuem um tempo para a passagem na chancela maior.

Há muitos anos, essa pratica já não funciona mais. Todos os pedágios hoje já estão equipados com câmeras na parte de trás das chancelas, que identificam e comparam com as placas de frente do veiculo. Caso haja a passagem de um veiculo diferente, rapidamente é acionado os sistemas de segurança, que além de realizar a cobrança da passagem posterior, também é usado como base para a aplicação da multa da infração de transito, além da contagem de pontos na carteira do motorista.

 Artigo: 211. Infração: ultrapassar veículos em fila, parados em razão de sinal luminoso, cancela, bloqueio viário parcial ou qualquer outro obstáculo, com exceção dos veículos não motorizados.

Ao se deparar com situações de bloqueio, seja através de sinais oficiais ou não, os motoristas devem evitar a passagem desses veículos, que nesses casos estão impedidos de trafegar para evitar situações de perigo a outros motoristas.

Mesmo em situações onde aparentemente não há um perigo a vista, cabe ao motorista entender a situação, mesmo que tenha que estacionar o veículo em um lugar seguro, para só depois seguir com a passagem de forma que garanta a segurança de todos os passageiros.

Artigo: 213, inciso II. Infração: deixar de parar o veículo sempre que a respectiva marcha for interceptada por agrupamento de veículos, como cortejos, formações militares e outros.

Principalmente em cidades pequenas, a formação de carreatas ainda é um hábito comum. Nesses casos, os motoristas devem se atentar ao fato de que sempre haverá outros muitos veículos a frente, o que faz com que a passagem seja realmente perigosa para todos.

Ao se deparar com essa situação, cabe ao motorista se manter calmo e entender que essa situação é cada vez mais rara de acontecer, e que uma passagem de forma forçada só irá trazer problemas, principalmente se resultar em algum acidente.

Para fugir dessa situação, cabe ao motorista identificar qual a próxima rua que deve pegar para fugir da carreata, e assim adotar um caminho alternativo a carreta, ou mesmo a formação militar. Ao tentar uma ultrapassagem insegura nesse caso extremo, a segurança dos próprios passageiros, dos demais veículos e também dos pedestres próximos se torna comprometida.

Artigo: 214, inciso IV. Infração: deixar de dar preferência de passagem a pedestre quando este houver iniciado a travessia, mesmo que não haja sinalização a ele destinada.

No transito, há uma hierarquia de cuidados que deve ser sempre seguida. Nesse sentido, cabe ao motorista sempre fazer ao máximo para garantir a segurança dos pedestres.

Mesmo em ruas onde não haja a faixa de pedestre implantada, cabe ao motorista sempre dar preferência ao pedestre durante a passagem na rua ou estrada. Essa preocupação deve ser instintiva de todos os motoristas, para que mesmo as pequenas rotinas do transito sejam sempre segura para todos.

Artigo: 214, inciso V. Infração: deixar de dar preferência de passagem a pedestre e a veículo não motorizado que esteja atravessando a via transversal para onde se dirige o veículo.

O mesmo é válido para veículos que não sejam movidos por um motor. Muitas vezes, os motoristas se deparam com a passagem de pessoas empurrando os próprios carrinhos, como no caso de coletores de reciclagem e também carrinhos de compra.

Nesses casos, cabe ao motorista entender que há uma certa dificuldade por parte do pedestre de locomover esses meios de transporte, por isso é de extrema importância e também uma questão de humanidade ajudar no que for possível a sua correta locomoção, principalmente na travessa de ruas e estradas bem movimentadas.

Artigo: 215, inciso I. Infração: deixar de dar preferência de passagem, em interseção não sinalizada, a veículo que estiver circulando por rodovia ou rotatória ou a veículo que vier da direita.

Ao realizar a passagem por uma rotatória, todos os motoristas devem ficar atentos ao que diz as placas de transito. Não dar a preferência de passagem durante a passagem de uma rotatória é uma das situações mais perigosas de transito, e causam inúmeros acidentes de transito todo o ano.

Principalmente em novas rotatórias, que ficam nas entradas das cidades, é muito importante também diminuir a velocidade mesmo em situações que o outro motorista seja obrigado a dar passagem. Isso se deve a precaver qualquer desconhecimento do motorista de qual veículo deve dar a passagem, o que evitaria um acidente ainda mais grave.

 Artigo: 215, inciso II. Infração: deixar de dar preferência de passagem nas interseções com placa de sinalização de Dê a Preferência.

A preferência em todas as rotatórias é planejada de forma a garantir a segurança do maior número possível de pessoas que por ali trafegam. Em todos os casos, a diminuição de velocidade é uma das melhores formas de garantir que mesmo em caso de colisões, elas não se tornem fatais.

Também é muito importante se atentar se novas preferencias de veículos não foram adotadas após a mudança de ruas próximas as rotatórias, que por vezes podem obrigar a mudança de preferência.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *