Menu fechado

Multas graves – A lista definitiva – Parte 04

Vamos começar a quarta parte do guia definitivo de multas graves

Artigo: 223. Infração: transitar com o farol desregulado ou com o facho de luz alta de forma a perturbar a visão de outro condutor. Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Quem já dirigiu a noite em uma rodovia sabe o quão difícil é conseguir guiar de maneira segura um carro quando outro vem na direção oposta com o farol alto ligado. Muitas pessoas não sabem, mas o farol alto só deve ser usado quando não há carros vindo na direção contrária, e que abusar dele pode colocar outros motoristas em perigo.

Andar com o farol sempre regulado é obrigação dos motoristas, para assim sempre manter a segurança de todos os passageiros. Proprietários de veículos devem sempre ficar atentos aos faróis, setas e também lanternas do seu veículo.

Quando qualquer uma das lâmpadas queima, é preciso fazer a troca o mais rápido possível. Além de evitar multas, pontos na carteira e apreensão do veículo, andar sempre com todas as luzes do carro funcionando bem também impede que o motorista coloque a todos os ocupantes em uma situação de perigo, principalmente quando se dirige em estradas rápidas e também no período noturno.

Artigo: 225, inciso I. Infração: deixar de sinalizar a via, de forma a prevenir os demais condutores e, à noite, não manter acesas as luzes externas ou omitir-se quanto a providências necessárias para tornar visível o local quando tiver de remover o veículo da pista de rolamento ou permanecer no acostamento.

Ao andar pelas estradas, muitas vezes nos deparamos com carros quebrados na beira da estrada. Claro que muitas vezes a quebra não acontece por culpa do motorista, e também muitas vezes é uma quebra que acontece de repente.

Porém, em todas essas situações, cabe ao motorista responsável sinalizar de forma correta que há um veículo ali parado para todos que passam pelo local. Há diversas formas de fazer a sinalização correta – com galhos de árvores, triângulos de segurança e também as luzes do carro, preferencialmente o pisca-alerta, que muitos motoristas não usam, mas que são ferramentas de segurança muito importantes.

Artigo: 225, inciso II. Infração: deixar de sinalizar a via, de forma a prevenir os demais condutores e, à noite, não manter acesas as luzes externas ou omitir-se quanto a providências necessárias para tornar visível o local quando a carga for derramada sobre a via e não puder ser retirada imediatamente.

Principalmente em rodovias muito rápidas e com curvas acentuadas, é normal a ocorrência de acidentes de caminhões com carga de transito, inclusive de cargas liquidas.

Quando essa situação acontece, cabe ao motorista e o seu ajudante a fazer a sinalização correta da estrada, para que novos acidentes não aconteçam. Muitas cargas podem demorar até horas para serem removidas dos locais de acidentes, dessa forma, os motoristas devem fazer todo o possível para evitar piorar ainda mais a situação.

Muitos motoristas de cargas perigosas sabem como agir nessas situações, e são devidamente treinados para esses momentos.

Artigo: 228. Infração: usar no veículo equipamento com som em volume ou frequência que não sejam autorizados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran). Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Quem nunca presenciou um carro com um som que atrapalha todos os pensamentos? Muitos motoristas acabam colocando um som muito potente em seus veículos, comprometendo assim muito espaço interno do veículo, principalmente do porta malas. Geralmente, a potência máxima desses equipamentos de som é testada em competições desse gênero.

Porém, muitos motoristas gostam de andar pelas ruas com o som no último volume, ganhando a atenção de todos que passam por perto, mas nem sempre por motivos de admiração. Além de atrapalhar todas as conversas das pessoas ao redor, dirigir com um volume muito alto pode acabar com toda a concentração dos motoristas.

Para os amantes da música alta, colocar um som potente no carro é uma verdadeira paixão, mas que deve ser acima de tudo respeitar os outros motoristas. Nesses casos, é melhor reservar momentos em lugares afastados dos outros motoristas e de outras pessoas que não estejam participando da reunião de amigos para colocar o som em um volume alto.

Artigo: 230, inciso VII. Infração: conduzir o veículo com a cor ou característica alterada. Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Seja por que a cor antiga não era mais atraente, ou mesmo para usar adesivos e colantes que estão na moda e que podem trazer um maior destaque para os veículos, muitos motoristas gostam de alterar a cor do veículo.

Essa mudança de cor pode ser feita por tinta tradicional, ou mesmo através de adesivos e colantes, que estão muito na moda ultimamente. Todos os motoristas podem mudar a cor de seus veículos, mas é importante que toda a mudança seja devidamente indicada para o órgão de fiscalização de trânsito no pais.

Artigo: 230, inciso VIII. Infração: conduzir o veículo sem ter sido submetido à inspeção de segurança veicular, quando obrigatória. Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Muitos veículos, principalmente que transportas um número grande de pessoas e também cargas perigosas precisam constantemente passarem por inspeções de segurança veicular. Essas inspeções são muito importantes para manterem a todos que estão por perto um ambiente seguro.

Vans que transportam pessoas e também ônibus precisam sempre serem vistoriados para garantir a segurança de seus ocupantes, diminuindo assim as chances de acontecer acidentes com as pessoas.

Já os veículos de carga precisam passar por inspeções de segurança, pois transportam cargas muito pesadas, e que muitas vezes também são inflamáveis, podendo assim causar acidentes muito graves nas rodovias que circulam.

Artigo: 230, inciso IX. Infração: conduzir o veículo sem equipamento obrigatório ou estando este ineficiente ou inoperante. Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Todos os motoristas devem entender que os equipamentos de segurança do veículo são especialmente obrigatórios para garantir uma direção segura para os ocupantes, e também para todos que estão por perto do veículo.

Muitos equipamentos de segurança são conhecidos por todos, como as luzes de sinalização de mudança de direção e também os cintos de segurança, que salvam milhares de vida todos os anos.

Mas alguns outros são desconhecidos pelo grande público. Os tacógrafos, que fazem a medição do histórico de velocidade de um veículo maior, é um equipamento de segurança que muitas pessoas nunca ouviram falar.

Um outro equipamento de segurança muito importante também são as placas que mostram a velocidade que as grandes carretas devem trafegar, seja em pistas secas ou durante chuvas. Essas placas ajudam a muitos motoristas que desejam fazer a ultrapassagem de forma segura, informando que os motoristas desses grandes veículos não irão acelerar de forma repentina.

Um terceiro equipamento muito importante também são as placas das grandes carretas que informam os números de telefone que devem ser usados no caso de haver acidentes de trânsito. Esses telefones informam as autoridades responsáveis o lugar que houve o acidente, diminuindo assim a gravidade do ocorrido.

 Artigo: 230, inciso X. Infração: conduzir o veículo com equipamento obrigatório em desacordo com o estabelecido pelo Contran. Medida administrativa: retenção do veículo para regularização.

Não somente manter os equipamentos no veículo, mas a sua correta manutenção é essencial para garantir uma condição de tráfego seguro. É muito importante que os motoristas fiquem atento as condições também das placas de segurança do veículo.

Fazer uma aferição correta dos equipamentos de medição como o tacógrafo, e também fazer sempre a inspeção das luzes de segurança dos grandes veículos deve ser sempre realizada pelos motoristas responsáveis.

No caso de haver qualquer manutenção necessária, é importante que o motorista faça a troca e conserto dos equipamentos o mais rápido possível. Em muitos casos, a multa gerada por andar com esses equipamentos com uma má condição de uso é muito maior do que o valor da própria manutenção.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *