Menu fechado

Multas leves – A lista definitiva – Parte 01

Muitas vezes no transito, acabamos nos distraindo, e acabamos levando alguns pontos de forma boba. Na maioria das vezes, essas multas mais simples são classificadas como multas leves, e mesmo que sua pontuação não seja muito alta, pode acabar saindo muito caro no final.

Podemos não saber, mas quase sempre um grande número de multas leves pode ser usado como pretexto para a abertura de um processo que visa a suspensão da carteira de habilitação.

Mesmo que você seja um motorista responsável, vale muito a pena conhecer de perto quais são as multas consideradas leves, para que não haja surpresas desagradáveis pela frente. Vamos estudar um pouco cada multa e o que podemos fazer para evitar, para preservar a conta bancária também.

Em alguns casos ainda, é possível converter essa multa leve em uma simples advertência. Essa opção é realmente interessante, pois preserva a pontuação da carteira de motorista, e ainda economiza um bom dinheiro.

Mas o que é uma multa leve?

As multas leves são quase sempre aquelas que podemos cometer não com má intenção, e nem colocando a vida de outros motoristas em perigo. Muitas vezes, as multas leves acontecem quando um motorista de transito desrespeita uma lei de transito, mas não o coloca e nem aos outros passageiros ou motoristas em situações de perigo. Como você deve saber, o código de transito brasileiro divide todas as infrações em quatro tipos, de acordo com sua gravidade:

  • Leve;
  • Média;
  • Grave;
  • Gravíssima.

Como você pode já saber, as infrações médias e graves podem levar os motoristas a se colocarem em uma situação de muito perigo. As infrações gravíssimas são as mais perigosas, pois com certeza leva a um elevado risco de vida. Nelas, estão inclusas atividades pouco inteligentes, como participação de rachas. Assim, as infrações foram classificadas em níveis que podem levar aos motoristas, passageiros e também outros motoristas a estarem em situações de perigo.

Quanto mais perigoso, mais pontos são atribuídos a carteira de habilitação. Então, uma multa leve gera menos ponto a carteira de motorista, porém muitas multas leves podem acabar também impedindo o motorista de se manter dentro da legalidade ao dirigir.

As multas leves podem comprometer também a condição financeira. Hoje, o valor de uma multa leve é de R$ 88,38. Também é importante citar que esse sempre será o valor da multa, pois diferentemente da multa gravíssima, as multas leves não possuem fator multiplicador.

Porém, sempre preste muita atenção ao dirigir – um grande número de multas leves pode comprometer muito a vida do motorista. Mesmo que a pontuação seja de apenas três pontos na carteira de motorista, um grande número de pontos pode fazer com que o motorista seja impedido de dirigir.

Em todos os casos, sempre vale muito a pena ficar sempre de olho na pontuação acumulada na carteira motorista. Para saber a sua pontuação, é preciso entrar no site do Detran do seu estado, e após fazer um cadastro simples, já é possível visualizar sua pontuação, suas multas recebidas e se você está recebendo algum processo que visa cassar sua carteira de motorista.

Agora que você já percebeu o quanto importante é se manter sempre dentro focado no transito, para evitar todas as multas, inclusive as leves, vamos ver juntos cada infração considerada leve, e como se pode evitar para não acabar levando uma multa sem nem mesmo perceber.

Lista de multas leves

Artigo – 169 -Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança.

Como todos devem sabe, o transito nos ajuda a economizar muito tempo em nossas viagens, mas é também um lugar muito perigoso. Sempre podemos nos distrair ao volante, mas fazer de tudo o que é possível para evitar quaisquer distrações é essencial para não comprometer a segurança de todos que estão por perto.

Antes de começar a dirigir, se atente a responder todas as solicitações no celular, evite ficar trocando de música no som do carro e também, em hipótese alguma, inicie uma chamada telefone com o carro em movimento.

Mesmo que muitos carros já contem com um sistema de comunicação muito avançado, não há como iniciar uma conversa com outra pessoa sem ter a atenção prejudicada. E se o assunto não for tão importante assim, pode-se muito bem esperar chegar no destino, para só depois começar essa conversa.

E mesmo com crianças no carro, pode-se evitar ter qualquer distração durante a viagem. Antes de ligar o carro, se certifique que todos os cintos estão bem presos as cadeirinhas, que a criança não queira de última hora ir ao banheiro, e nem mesmo se está chateada com alguma coisa.

Como as crianças são realmente imprevisíveis, é preciso sempre se atentar se elas não irão fazer nenhuma bagunça no carro durante a viagem. Uma boa conversa e um acordo com os pequenos pode ser o necessário para evitar qualquer birra durante a viagem.

Artigo – 179, II   Fazer, ou deixar que se faça, reparo em veículo na via pública, salvo nos casos de impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo esteja devidamente sinalizado, exceto em pistas de rolamento de rodovias e vias de trânsito rápido.

Sabemos que muitos carros acabam quebrando de uma hora para outra. Talvez uma correia que estoure em poucos segundos, ou mesmo uma marcha que não queira mais entrar. Como os carros são máquinas que se desgastam com o uso, é impossível saber sempre se toda a manutenção correta está em dia.

Muitas vezes, vemos carros que estão parados nos acostamentos, onde uma boa alma possa se oferecer para tentar ajudar. Em muitos casos também são mecânicos que se deslocaram até o local para tentar realizar o conserto o mais rápido possível. O brasileiro é um povo sempre muito solidário, por isso eu tenho certeza que essa cena não é incomum para você.

Porém, segundo o código de transito brasileiro, todo reparo feito com o carro na via pública deve apenas ser realizado para que o veículo possa voltar a funcionar para deixar o local. Entendemos que esse é sempre a maioria dos casos, mas principalmente em estradas que possuem lojas de auto peças no seu trajeto, muitos espertinhos podem parar o carro na mesma via para não precisar sair do seu caminho.

Artigo 181, II – Estacionar o veículo afastado da guia da calçada (meio-fio) de cinquenta centímetros a um metro.

Um erro que a grande maioria dos novos motoristas comete, que pode não parecer muito perigoso, mas pode prejudicar o transito dos pedestres e dos demais motoristas. Todos sabem que nem sempre estacionar o carro de maneira bem perto do meio fio é fácil, mas nesse caso é sempre preferível perder um tempo a mais fazendo a manobra para que o veículo fique o mais próximo possível da calçada.

Pode não parecer, mas ao estacionar longe do meio-fio, se perde muito espaço na rodovia para se manobrar, o que pode prejudicar muito a vida dos motoristas que irão passar pela rodovia.

Artigo 181, VII – Estacionar o veículo nos acostamentos, salvo motivo de força maior.

Sempre vemos vídeos pela internet de motoristas pensando que irão conseguir ultrapassar vários carros pelo estacionamento, mas que sempre se dão mal no final, por serem descobertos.

Claro que o código de transito brasileiro previu que muitas vezes ocorra a quebra do durante a viagem, e que o motorista não é o culpado, pois o veículo não apresentava qualquer sinal de que iria quebrar.

Todos os motoristas devem entender que o local de acostamento é destinado apenas a emergência, e que não é um caminho alternativo de passagem e nem um local para estacionar o veículo durante uma ligação telefônica.

  Artigo 182, II – Parar o veículo afastado da guia da calçada (meio-fio) de cinquenta centímetros a um metro.

Muito parecido com o parágrafo primeiro, que dizia que estacionar o carro afastado a mais de cinquenta centímetros é passível de multa, mesmo apenas parar o veículo é muito perigoso. É importante que todos saibam que parar o carro e permanecer dentro é caracterizado parar.

Artigo 182, IV – Parar o veículo em desacordo com as posições estabelecidas no CTB.

As situações de parada do veículo sempre podem passar despercebido, mas podem gerar muitas situações de perigo para os outros motoristas. Para evitar qualquer o recebimento de qualquer infração de transito, é necessário que motoristas sempre revisem as normas estabelecidas no código de trânsito brasileiro.

Entre as posições estabelecidas, é importante citar que muitos lugares, para o carro na forma diagonal traz mais segurança para quem está saindo ou entrando do estacionamento. E também, muitos estacionamentos de estabelecimentos comerciais, como supermercados e lojas, possuem locais para parada determinados, que devem sempre ser respeitados.

Artigo  182, VI – Parar o veículo no passeio ou sobre faixa destinada a pedestres, nas ilhas, refúgios, canteiros centrais e divisores de pista de rolamento e marcas de canalização.         

Mesmo as paradas mais rápidas podem se tornar perigosas para os outros motoristas de transito, principalmente quando se para o veículo em um local não projetado para isso. Muitos veículos estacionam os veículos em lugares proibidos mas consideram que como se trata de uma parada bem rápida, não estão infringindo nenhuma lei de transito. Mas isso é um erro muito sério, que acaba gerando uma multa leve ao motorista.

Pior ainda, há muitos motoristas que ainda param os veículos nos divisores de pista, que pode ser de fato muito perigoso, pois pode levar perigo aos motoristas dos dois lados da estrada.

Artigo 184, I – Transitar com o veículo na faixa ou pista da direita, regulamentada como de circulação exclusiva para determinado tipo de veículo, exceto para acesso a imóveis lindeiros ou conversões à direita.    

No transito, muitas vezes nos deixamos levar pela distração ou mesmo agimos com muito mais pressa do que o necessário. Principalmente nas grandes cidades, há sempre algumas vias que são de acesso exclusivo a alguns tipos de veículos, como ambulâncias, veículos oficiais e principalmente veículos de transporte coletivo, como ônibus.

Os motoristas particulares devem sempre se atentar a não invadir essas faixas, evitando assim o recebimento de multas leves. Deve-se entender que essas vias visam o desafogamento de transito, que muitas vezes ocorre pelo excesso de transportes coletivos, pois são bem maiores.

Artigo 205 – Ultrapassar veículo em movimento que integre cortejo, préstito, desfile e formações militares, salvo com autorização da autoridade de trânsito ou de seus agentes.         

Mesmo em situações de comemoração ou homenagem, onde o transito fica muito mais lento, é preciso se atentar a não cometer nenhuma infração de transito, que pode levar ao recebimento de uma multa leve.

Nessas situações, não é recomendado realizar nenhum tipo de ultrapassagem. Para conseguir sair dessa situação, é indicado que os motoristas escolham um trecho alternativo para chegar ao seu destino que não fique no caminho da celebração ou da homenagem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *