Menu fechado

Como evitar as distrações no trânsito e fugir das multas?

Distrações no trânsito, seja no carro ou a pé, são uma causa cada vez mais comum de acidentes de trânsito. Cerca de 30 por cento de todos os acidentes com lesões corporais podem ser atribuídos a uma simples distração. As causas são, por exemplo, fazer chamadas ou operar o dispositivo de navegação enquanto dirige.

Quando se trata de distrações, uma distinção deve ser feita entre dois estados diferentes:

  • Distração como uma pausa
  • Conflito de distração

A distração como uma pausa tem um efeito positivo na concentração. No caso de um conflito de distração, a distração tem um impacto negativo na concentração e é percebida como uma interrupção.

Distração no trânsito é a ocupação do motorista com uma atividade não dirigida. Evitar a distração no trânsito é um dever essencial do motorista do veículo, que também é especificado nas normas de trânsito rodoviário.

A distração causada pelo uso de dispositivos móveis é uma das causas mais comuns de acidentes. Por isso, ao precisar fazer uma chamada urgente ou mesmo ler uma mensagem, para evitar uma multa leve, procure o lugar mais próximo para que você possa parar o carro de forma segura.

Depois de definir o termo distração, agora é necessário distinguir quais tipos de distração existem. No tráfego rodoviário, uma distinção pode ser feita entre distração interna e externa do veículo:

Distração no veículo

  • Passageiros
  • Sistemas de telecomunicações, sistemas de infoentretenimento (como smartphones, dispositivos de navegação, etc.) e sistemas de assistência ao motorista
  • Faróis dos veículos
  • Comida e bebida
  • Fumaça
  • Animais no veículo
  • Doenças (tosse, coriza, etc.)

Distração fora do veículo

  • Brilho do sol ou de outros usuários da estrada
  • Revisão do tráfego e orientação
  • Outros usuários da estrada
  • Ambiente do veículo (paisagem, pessoas)
  • Acidentes de trânsito ou missões de resgate
  • Animais na rua
  • Anúncios, sinais de trânsito

Em geral, distração não é o mesmo que desatenção, porque há uma diferença crucial. A desatenção geralmente é motivada intrinsecamente, ou seja, com base no motorista, enquanto a distração pode surgir de fatores externos, como ruído.

O descuido e a desatenção podem ser divididos em cinco áreas:

  1. Atenção limitada devido a limitações físicas ou biológicas (por exemplo, microssono),
  2. Preferência errada por fontes de distração relevantes para dirigir (por exemplo, olhar muito tempo no espelho),
  3. Processos de aprendizagem ao dirigir (por exemplo, não parar completamente em estradas “cedendo” sempre a passagem),
  4. Atenção superficial (por exemplo, negligenciar outros veículos ao entrar na rodovia) também
  5. Atenção direcionada a outras coisas (por exemplo, operar sistemas de infoentretenimento no veículo).

A operação de sistemas de infoentretenimento no veículo é, por exemplo, uma combinação de distração interna do veículo e a resultante desatenção externa por parte do motorista. Isso comprovadamente leva a uma perca na atenção do veículo, que também pode ser observada com outros tipos de distração. Os sinais típicos de distração no trânsito são:

  • Manobras de frenagem mais rápidas,
  • Escolha de velocidade inadequada e uma
  • Reação mais lenta a eventos que ocorrem espontaneamente.

O tempo de reação: influência das distrações na distância de parada

Devido à distração, a visão não é totalmente focada no tráfego por alguns segundos. Este tempo pode aumentar significativamente a distância de parada de um veículo.

Distância de parada = distância de reação + distância de frenagem

  • A distância de frenagem depende da velocidade que está sendo conduzida.
  • O caminho de resposta também depende da velocidade que está sendo conduzida; o tempo de resposta é baseado em um segundo.

A uma velocidade de 50 km / h, cerca de 14 m são percorridos por segundo. Se você se distrair por mais tempo, a distância percorrida dobra. Se você olhar para o seu smartphone por 2 segundos, você já percorreu 28 m sem saber o que está acontecendo à sua frente. O caminho de reação é inevitavelmente mais longo e situações perigosas na estrada podem ser percebidas tarde demais.

Os pedestres também são afetados

A distração não afeta apenas o motorista de um veículo, que se distrai com fatores internos ou externos. Pedestres e ciclistas também são afetados pela distração, o que pode aumentar o risco de um acidente de trânsito. As fontes de perigo mais comuns são:

  • Uso do smartphone na rua,
  • Música alta e alcance auditivo limitado devido aos fones de ouvido,
  • Desconsiderar os sinais de trânsito, como por exemplo, semáforos.

Risco de acidente: smartphone

O risco de acidente é particularmente alto ao usar um smartphone ao volante. Por este motivo, esta infração é considerada gravíssima, e gera ao motorista sete pontos na carteira de motorista, além da multa de R$ 300.

Assim que o motor estiver funcionando, coloque o celular de lado. Muitos testes de Segurança Rodoviária já comprovaram que ler e escrever em um smartphone aumenta significativamente o risco de acidentes, porque as distrações visuais reduzem a atenção ao dirigir.

No entanto, os sistemas de infoentretenimento modernos oferecem a opção de controlar o smartphone diretamente do veículo. Telefonar pelo sistema viva-voz não só é permitido, mas pode até reduzir o risco de acidentes, pois o motorista pode se concentrar mais no trânsito apesar de estar distraído.

Causas de acidentes ao usar um smartphone:

Para determinar as causas do acidente, o Conselho de Segurança Rodoviária realizou uma investigação usando um simulador de direção. As atividades secundárias ao dirigir incluem operar o smartphone (ler e digitar mensagens) e fazer chamadas com e sem sistema viva-voz. Foram observadas várias causas que podem levar a acidentes graças ao uso do smartphone ao volante:

  • Diminuição da velocidade,
  • Desvio do centro da pista,
  • Tempo de resposta reduzido,
  • Redução da visão de áreas relevantes para o tráfego.

Evite distração do smartphone:

Para evitar ou reduzir a distração causada pelo seu próprio smartphone, o Conselho de Segurança Rodoviária faz as seguintes recomendações:

  • Conscientizar sobre os perigos de usar o smartphone ao dirigir,
  • Verificar o smartphone para notícias e eventos importantes antes de iniciar a viagem
  • Ativação do modo de voo, desligamento completo do dispositivo ou armazenamento seguro fora da área de visão e audição durante a condução,
  • Pausas regulares em viagens longas para verificar o smartphone.

5 Dicas para evitar distrações no trânsito

Para evitar o risco de um acidente causado por distração, seja interna ou externa, reunimos cinco dicas úteis para você:

  1. Evite a pressão do tempo, porque a pressão aumenta o risco de distrações.
  2. Mantenha as duas mãos no volante.
  3. Mantenha os seus pensamentos sobre a viagem e a situação do trânsito, não sobre a sua próxima parada.
  4. Reduza o funcionamento dos dispositivos ao mínimo. Ligue seus dispositivos de navegação e rádio antes de começar a dirigir.
  5. Evite ligações enquanto dirige, também usando o sistema viva-voz.

Se mantenha sempre seguro, evitando distrações ao máximo no transito.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *