Menu fechado

Multas graves – A lista definitiva – Parte 01

app crlv digital

Multas graves são verdadeiras ameaças para todos os motoristas conscientes. Afinal, todos nós fazemos o possível para sempre respeitar todas as leis de transito. Há alguns anos, essa multas tiveram seu valor elevado, para assim proteger os outros motoristas, e também os pedestres.

Além dos 5 pontos na carteira de habilitação, as infrações graves também são acompanhadas de multas pesadas, no valor de R$ 195,23. Antigamente, esse valor era de R$ 127,69. Essa alteração, que ocorreu em novembro de 2016, ocorreu após a publicação da lei nº 13.281.

Vamos agora conhecer todas as multas graves, para que você, como motorista consciente, faça de tudo para não cometer essa infração.

No total, há mais de setenta infrações que são consideradas graves pelo Código de Transito Brasileiro. Vamos juntos conhecer quais as multas que mais ocorrem em todas as regiões do Brasil.

Art. 167 – Deixar o condutor ou o passageiro de usar o cinto de segurança.

Talvez a multa que mais ocorra em todos os cantos do Brasil, muitas vezes, devido a pressa ou ao esquecimento mesmo, nem todos colocam os cintos assim que entram nos veículos, como deveria. Uma maneira muito legal de diminuir as chances de praticar essa infração é colocar um pequeno lembrete no painel do motorista, para que se lembre de colocar o cinto, e também para pedir para que todos coloquem!

Art. 177 – Não prestar socorro à vítima de acidente quando solicitado

Mesmo em situações de pânico, é importante para todos que o lado humano esteja presente, principalmente quando envolve acidentes de trânsito, onde as atitudes certas podem salvar vidas. Não prestar socorro a alguma pessoa acidentada é uma infração grave, que também deve ser considerado um ato egoísta. Independentemente de quem seja o culpado do acidente, se esse existir, ajudar a alguém em risco de morte é obrigação de todos.

Artigo: 179, inciso I. Infração: deixar que se faça reparo em veículo em pista de rolamento de rodovias e vias de trânsito rápido, salvo nos casos de impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo esteja devidamente sinalizado. Medida administrativa: remoção do veículo.

Muitas vezes avistamos carros quebrados na beira da estrada, rodovia ou mesmo em pequenas ruas das cidades. O Código de transito brasileiro entende que nem sempre é culpa do motorista a quebra do veículo, mas também entende que alguns casos poderiam sim ser evitados graças a uma manutenção corretiva e acima de tudo preventiva do veículo.

Nesses casos, além da aplicação de multa e pontos na carteira nacional de habilitação, o veículo deve ser removido do local, para evitar quaisquer perturbações de transito. Assim, o proprietário do veiculo também terá que desembolsar o valor do guincho e da estadia do pátio onde o veículo fica removido, que geralmente são bem caros.

Artigo: 181, inciso III. Infração: estacionar o veículo afastado da guia da calçada (meio-fio) a mais de um metro. Medida administrativa: remoção do veículo.

Quase todos os motoristas já passaram por momentos de incerteza a realizarem uma baliza. Principalmente em ruas muito movimentadas, poucos são os motoristas que sempre estão com muita confiança a iniciarem uma manobra de estacionar o veículo.

Mas mesmo os motoristas que ainda estão receosos de estacionar bem o veículo devem ter a consciência da distância que o veículo deve ficar do meio fio, e qualquer medida acima de um metro justifica a remoção do veículo, além da aplicação de uma multa grave. Essa atitude também pode ser vista como uma medida de garantir a segurança de todos que irão passar por esse trajeto.

Artigo: 181, inciso VIII. Infração: estacionar o veículo no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, ciclovia , ciclofaixa, em ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público. Medida administrativa: remoção do veículo.

Muitas pessoas, principalmente aquelas que consideram que não serão cobradas por suas atitudes erradas no trânsito. Em muitas situações, principalmente de acumulo de pessoas, como um evento, um concurso público ou mesmo um encontro esportivo, há uma falta de lugares para estacionar corretamente os veículos, fazendo com que muitos motoristas considerem estacionar nesses lugares como a única opção.

Porém, a falta de um lugar para estacionar perto do seu destino não desobriga qualquer motorista a estacionar em um lugar não definido para isso. Mesmo que muitas pessoas próximas estejam estacionando os veículos em lugares proibidos, um motorista responsável e consciente não deve fazer o mesmo.

 Artigo: 181, inciso XI. Infração: estacionar o veículo ao lado de outro veículo em fila dupla. Medida administrativa: remoção do veículo.

Uma infração que parece muito boba, mas que ainda acontece em todos os lugares, principalmente em centros das cidades, onde os lugares para estacionar parecem não serem suficientes.

Estacionar em fila dupla também pode ser considerado um ato que pode trazer perigo a todos que por ali irão passar. Ao diminuir o espaço para a passagem dos outros veículos, aumenta-se a chance de acontecer novos acidentes, principalmente por motoristas novos, que ainda não possuem muita relação de espaço na passagem de espaços mais apertados.

Jamais estacione em filas duplas. Além de trazer uma situação de enorme perigo a todos os outros motoristas, você estará deixando seu carro em um espaço muito perigoso, onde outros motoristas não se sentirão culpados caso haja alguma batida em seu carro, pois está parado em um lugar proibido.

Artigo: 181, inciso XII. Infração: estacionar o veículo na área de cruzamento de vias, prejudicando a circulação de veículos e pedestres. Medida administrativa: remoção do veículo.

Outra infração que pode ser facilmente evitada. Ao estacionar um veículo em cruzamento de vias, esse motorista, no mínimo desatento, estará colocando uma situação de perigo não apenas os passageiros do seu veículo, mas também todos que passarem pela via nesse momento.

E mesmo a parada irregular em lugar de passagem de pedestres pode gerar uma situação de perigo a outros motoristas, pois os pedestres nessa situação tendem a fazer a passagem desses carros pela via destinada a veículos, gerando assim um ambiente inseguro para todos.

Mesmo que não haja um espaço próprio para estacionar o veículo perto do local de parada, é importante que os motoristas procurem em espaços mais distantes, e no caso de não achar, que procurem voltar em um horário diferente. Nenhuma pressa do mundo justifica gerar uma situação de insegurança para os outros motoristas e pedestres dessa região.

Artigo: 181, inciso XIV. Infração: estacionar o veículo nos viadutos, pontes e túneis. Medida administrativa: remoção do veículo.

Mesmo que muitos filmes mostrem carros estacionados em viadutos, pontes e tuneis em suas cenas de ação, no mundo real essa prática configura uma infração grave de trânsito. Ao parar o veículo nesses lugares apertados e planejados apenas para a passagem de outros veículos, é criado uma dificuldade ainda maior para os motoristas, principalmente iniciantes, fazerem o cruzamento.

Nesse caso, além da multa financeira e também da aplicação de pontos a carteira de habilitação, acontece a remoção do veículo. Os motoristas assim são ainda obrigados a realizar o pagamento do guincho e do pátio de estadia do veículo. Definitivamente, estacionar o veículo em viadutos, pontes e túneis não é uma boa prática, e em nenhuma ocasião deve ser realizada.

Artigo: 181, inciso XVI. Infração: estacionar o veículo em aclive ou declive, não estando devidamente freado e sem calço de segurança, quando se tratar de veículo com peso bruto total superior a 3,5 mil kg. Medida administrativa: remoção do veículo.

Aqueles vídeos de internet onde um carro desenfreado desse uma colina sem o controle do motorista pode até ser engraçado, mas na vida real é extremamente perigoso. Como uma das medidas de segurança mais efetiva, é importante sempre se atentar ao funcionamento também do freio de mão, principal mecanismo de segurança quando o veículo se encontra estacionado.

 Como uma medida de segurança, o código de transito brasileiro também obriga todos os veículos pesados, ou seja, acima de 3,5 quilos, de manterem um calço de segurança em todas as suas rodas, além do freio de mão. Essa medida se deve a dificultar qualquer acidente que possa vir a ocorrer caso haja uma quebra no mecanismo de estacionamento quando parado.

Essa situação também obriga aos responsáveis pela segurança a remoção imediata do veiculo, causando ainda mais problemas aos motoristas. Motoristas de grandes veículos, como caminhões e carretas, devem sempre se lembrar de qual perigoso o seu meio de transporte pode ser em situações de emergência, por isso nunca devam se esquecer desse importante meio de segurança.

 Artigo: 181, inciso XVII. Infração: estacionar o veículo em desacordo com as condições regulamentadas especificamente pelas placas de sinalização. Medida administrativa: remoção do veículo.

Estacionar em lugares proibidos pode parecer inofensivo para muitos motoristas, mas eles se enganam em pensar que essa atitude sempre não será punida. A esses motoristas, é importante a mensagem que todas as placas de transito, inclusive aquelas que indicam os lugares seguros para o estacionamento, tem como objetivo apenas a segurança de todos os outros motoristas que por ali passam, e também aos pedestres.

Nenhuma placa de transito é colocado como forma de prejudicar a vida dos motoristas. Esse importante meio de sinalização é acima de tudo um importante mecanismo de segurança, que ajuda a manter um clima mais seguro de transito a todos.

Artigo: 181, inciso XIX. Infração: estacionar o veículo em locais e horários de estacionamento e parada proibidos pela sinalização (placa de proibido parar e estacionar). Medida administrativa: remoção do veículo.

Muitos motoristas não se atendam as placas que proíbem o estacionamento em certos momentos do dia. Lugares destinados a carga e descarga e também em lugares de acesso restrito como estacionamentos de hospitais podem ter o horário de estacionamento reduzido, para poder facilitar o acesso a todos.

Nesses casos, a retirada com o guincho é obrigatória para garantir o acesso facilitado a esses lugares. Ou seja, somente em casos de extrema urgência estacionar nesses lugares é permitido, como no caso de risco de vida.

Artigo: 182, inciso V. Infração: parar veículo na pista de rolamento das estradas, das rodovias, das vias de trânsito rápido e das demais vias dotadas de acostamento.

Principalmente em casos de congestionamento de veículos, muitas vezes avistamos veículos parados nessas vidas de tráfego rápido.

Seja por problemas no veículo, somente para descansar ou mesmo uma forma de sair um pouco da confusão, é importante que os motoristas conscientes sempre se lembrem que estacionar o veículo, seja carro ou moto, nas vias de tráfego rápido gera uma situação de muito perigo por todos que transitam na pista.

Nesses casos, é essencial que o motorista se lembre que todas as suas atitudes devem ser sempre no sentido de garantir a segurança dos passageiros do seu veiculo e também dos demais veículos que por ali passarem. Mas em situações de emergência com algum passageiro ou mesmo quebra do carro, o melhor caminho para evitar gerar uma infração grave é chamar rapidamente o serviço de assistência da rodovia que esteja.

Vamos agora a parte dois dessa lista de artigos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *