Menu fechado

Multas médias – A lista definitiva – Parte 01

Segundo o código de transito brasileiro, as multas são divididas pelo nível de risco que as infrações causam aos outros motoristas. Já vimos anteriormente quais são as multas leves, que são menos perigosas, mas que ainda configuram uma infração de transito.

Também já vimos as multas que são classificadas como graves, que trazem um perigo muito maior para os outros motoristas e também pedestres. Agora, vamos ver juntos quais são as multas que são consideradas médias.

Vamos ver cada multa, e também estudar o que nos leva a cometer determinadas infrações, que num primeiro momento podem parecer sem importância, mas que pode prejudicar muito a vida dos motoristas.

Multas médias – Valores e pontuações

As multas médias não são tão mais baratas como antigamente. Em 2016, houve um aumento substancial no valor, passando de R$ 85,13 para R$ 130,16. Além desse valor que pode ser muito puxado para algumas pessoas, também é atribuída a carteira de motorista quatro pontos. Para saber qual a pontuação da sua carteira de motorista, você pode consultar o site do Detran do seu estado, ou ainda verificar pessoalmente no posto de atendimento do Detran da sua cidade

Algumas pessoas ainda podem pensar que o valor antigo está sendo cobrado, mas é importante que todos saibam do nosso valor para evitar qualquer dor de cabeça no futuro. 

Também é muito importante que os jovens motoristas – que ainda estão com permissão para dirigir – saibam quais as condições que podem gerar esse tipo de multa. Nesse caso, se um motorista que ainda possui apenas a PPD – Permissão Para Dirigir – receber uma multa média, terá cassada sua permissão, precisando assim começar novamente todo o processo, o que é cada vez mais caro.

Multas médias

Para que você evite tomar uma multa média, vamos repassar cada uma com calma, para que você identifique as situações que podem gerar essa infração, e se policie para não sofrer as consequências, como o recebimento de multas e também o recebimento de pontuação na sua carteira de motorista.

Art. 171 – Utilizar veículo para jogar, sobre os pedestres ou veículos, água ou detritos.

Quem nunca deu risada, quando avistou um carro ou moto passando em cima de uma poça de água num dia de chuva, molhando assim pessoas próximas que estavam na calçada?

Porém, essa atitude, mesmo que sem intenção, configura sim uma infração de trânsito. Existem também casos de outros motoristas que acabam jogando, de forma proposital, qualquer tipo de objeto pela janela em direção a pedestres e outros veículos, o que pode acabar gerando um acidente grave.

Para evitar qualquer uma dessas situações, é muito importante andar sempre mais devagar em dias de chuva, evitando ao máximo passar por cima de poças e buracos. E mesmo de moto, é importante que um motorista consciente perceba que mesmo uma simples brincadeira, pode acabar com o dia de um pedestre, que já está passando por maus momentos ao encarar uma chuva.

Art. 172 – Atirar do veículo ou abandonar na via objetos ou substâncias

Mesmo que seja só uma latinha, ou uma embalagem vazia. Não deve ser descartado nada nas pistas ou ruas, onde outros carros passam. Saiba que até mesmo um objeto inofensivo pode causar acidentes de trânsito.

Como motorista responsável, é muito importante sempre manter uma limpeza exemplar no local de passagem de outros veículos. Isso não se trata apenas da possibilidade de causar um acidente. Se trata também de consciência, pois todo lixo jogado nas rodovias vão sempre parar em locais inadequados, como nos rios.

Art. 178 – Deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providências para remover o veículo do local.

Mesmo um pequeno incidente pode se transformar em um acidente mais sério. Quando é preciso retirar o veículo do local de algum acidente, é preciso muita atenção. O veículo deve ser retirado o mais rápido possível, para que a situação não cause outros acidentes. Nesse momento, muitos motoristas devem desengatar seus carros e eles mesmo empurrarem, antes mesmo de solicitar ajuda mecânica.

Art. 180 – Ter seu veículo imobilizado na via por falta de combustível.

Essa é uma situação que pode parecer ser engraçada, mas que pode ser a causa de um acidente sério, por isso mesmo é considerada uma infração de trânsito média. Como motoristas experientes, devemos ter sempre olho também no marcador de combustível, para evitar passar por essa situação de muita vergonha.

Para que isso não ocorra, sempre procure abastecer quando o veículo entrar na reserva. Lembre-se que a reserva não tem esse nome por acaso. O combustível nesse nível deve ser usado apenas em emergências, por isso não deve fazer parte do hábito de qualquer motorista considerar esse volume de gasolina como uma extensão do tanque de combustível.

Art. 181, I – Estacionar o veículo nas esquinas e a menos de 5 metros da esquina.

Mesmo uma parada de alguns minutos pode ser a causa de um acidente mais grave. Saiba que essa medida de segurança, de cinco metros, não foi definitiva por acaso. Os cinco metros é o mínimo necessário para que um motorista tenha a visão total de outro carro estacionado no local de conversão.

Para evitar causar uma infração que pode resultar em um acidente mais grave, é recomendado andar mais um pouco, se você não conseguir estacionar em uma margem segura da esquina. Possivelmente, esses poucos minutos procurando uma vaga irão te trazer muito mais tranquilidade.

Art. 181, IV – Estacionar o veículo em desacordo com as posições estabelecidas no CTB.

Para evitar uma multa média, nada mais importante do que sempre respeitar o código de trânsito brasileiro. As posições estabelecidas no código de trânsito para estacionar o veículo são obrigatórias para se conseguir um trânsito mais seguro.

Em algumas situações, é recomendado estacionar em 45º, outros 90º e outros totalmente em 180º. Para que o departamento de trânsito verifique a forma correta de estacionar em cada local, eles utilizam métodos comprovados, que visam sempre evitar ou pelo menos diminuir qualquer acidente entre os motoristas, até mesmo os mais distraídos.

Art. 181, VI – Estacionar o veículo junto ou sobre hidrantes de incêndio, registro de água ou tampas de poços de visita de galerias subterrâneas, desde que devidamente identificados.

Ao estacionar o veículo, não basta apenas deixar uma situação em que os outros motoristas se sintam seguros. Também é muito importante prever qualquer acidente que possa acontecer no local. Por isso, se atentar de não obstruir nenhum equipamento ou recurso de segurança, como hidrante ou poço de galeria, quando se estaciona o veículo, pode ajudar a prevenir uma tragédia ainda maior.

Art. 181, IX – Estacionar o veículo onde houver guia de calçada (meio-fio) rebaixada destinada à entrada ou saída de veículos.

Além dos dispositivos de segurança, é muito importante também se atentar a não obstruir os locais de passagens de outros veículos, além dos locais de passagens de pessoas com deficiência.

Ao sair do veículo, tenha o hábito de verificar se você não estacionou o carro na frente de qualquer dispositivo de mobilidade, como uma guia rebaixada ou mesmo na frente na de uma guia destinada a pessoas com deficiência visual, que possuem marcações especiais.

Art. 181, X – Estacionar o veículo impedindo a movimentação de outro veículo.

Nem sempre prestamos atenção quando paramos nosso veículo, principalmente quando estamos com pressa. Mas a nossa pressa não pode ser usada como motivo para atrapalhar a movimentação de outros veículos nas rodovias, ruas e estradas rurais.

No momento antes de estacionar, procure sempre visualizar o caminho que outros motoristas poderão tomar, para ter certeza de não impedir nenhuma circulação. Também se certifique de estacionar seu veículo sempre no menor espaço possível, para que outros veículos possam estacionar com muito mais segurança.

Art. 181, XIII – Estacionar o veículo em parada de ônibus ou em intervalo de dez metros antes ou depois da sinalização que a indica.

No transito, temos sempre nos precaver para não impedir a circulação de nenhum outro veículo, principalmente quando se trata de um transporte coletivo. Ao parar seu carro ou moto perto de pontos de ônibus, verifique sempre se ele terá total condição de realizar a parada e também seguir novamente seu trajeto com total segurança.

Lembre-se que os veículos de transporte coletivos geralmente é o principal meio de transporte de muitas pessoas. Dessa forma, qualquer incidente envolvendo esse tipo de veículo pode se tornar um problema na vida de muitas pessoas, que já se encontram em uma situação prejudicada, visto que os horários e condições desses veículos nem sempre são os ideais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *